10.17.2012

{ MANIFEST FOR THE PORTUGUESE DESIGN }



Porque sou Designer de Comunicação e porque tenho sentido na pele os efeitos desta enorme crise financeira, também conhecida por 'buraco negro financeiro', hoje decidi partilhar convosco o Manifesto para o Design Português, erigido pelo brilhante Professor José Bártolo e postado originalmente pela Arte Capital aqui.

Because I'm a Communication Designer and I've been feeling in my skin the effects of this huge financial crisis, aka 'financial black hole', I leave you with the Manifest for the Portuguese Design, written by the brilliant Professor José Bártolo, and originally posted in Arte Capital here.*
*As I freely translated the Manifest I apologize in advance for any grammatical incoherences you may find.



Manifesto para o Design Português

Manifest for the Portuguese Design

1. Nós, abaixo assinados, somos designers, professores de design e críticos de design, que iniciaram a profissão depois do 25 de Abril de 1974. Nós, que sempre trabalhámos num contexto politicamente democrático, culturalmente plural e economicamente liberal, defendemos que os valores da democracia participativa devem ser, de forma permanente e ativa, enunciados, renovados e praticados; que o pluralismo cultural nos obriga a respeitar a diferença e afirmar identidades; que o liberalismo económico pode e deve ser criticado e mediado de forma a ser sempre um meio e nunca um fim da cidadania.

1. We, undersigned, are designers, design professors and design critics, that initiated the profession after the 25th of April of 1974. We, that have always worked in a politically democratic context, culturally plural and economically liberal, defend that the vallues of participative democracy should be, in a permanent and active form, enunciated, renewed and practiced; that the cultural pluralism that compels us to respect the difference and to affirm identities; that the economic liberalism can and should be criticized and mediated in order to be always a mean and never an end of citizenship.

2. Num momento em que a nossa autonomia enquanto estado-nação é atacada por uma insuportável ingerência externa, num contexto em que o país está preso a orientações de credores externos, na mesma altura em que a carga fiscal ultrapassa os 48% do PIB, em que o desemprego é de 16%, em que o descrédito nos políticos é total, em que o desalento e o pessimismo nos dominam, nós assumimos a nossa quota parte de responsabilidade na sensibilização, mediação e mobilização sociais; na construção crítica do presente; na procura de alternativas futuras.



2. In a moment were our autonomy as a state-nation is being attacked by an unbearable external lack of management , in a context in witch the country is held to orientations of external creditors, in the same time that the tax burden exceeds the 48% of PIB, that the unemployment rate is of 16%, the discredit in politicians is total, and the discouragement and pessimism dominate us, we assume our share of responsibility in the sensitization, mediation and social mobilization; in a critic construction of the present; in the search of future alternatives.

3. Nós não nos revemos, identificamos ou conformamos com a atual situação cultural, social, política e económica do país; defendemos uma maior e mais efetiva responsabilização coletiva - dos governantes e dos governados – e defendemos a procura de formas alternativas de fazer política, de fazer cultura, de fazer negócios e de fazer design. O design é um processo ativo de transformação contextual; nós defendemos a consciencialização dos designers para uma compreensão do projeto enquanto realização de um ação socialmente eficaz.

3. We don't review, identify nor conform ourselves with the country's current cultural, social, political and economic situation; we defend a bigger and more effective collective responsibility - of the the ones governing and the governed ones - and defend the search for alternative ways of making politic, culture, business and design. Design is an active process of social contextual transformation; we defend the taking of conscience by the designers for an understanding of the project as a realization of a socially effective action.

 4. Nós rejeitamos a ditadura do financeiro e defendemos a defesa de valores fundamentais, de respeito pelo trabalho, de equidade, de pluralismo, de participação, de liberdade. Nós defendemos a importância do papel do design na comunicação e construção de alternativas. Acreditamos que a democracia é o governo através da discussão. Defendemos o envolvimento dos designers no assegurar a amplitude e a qualidade da discussão, tornando-a o mais o quotidiana e pragmática possível.

4. We reject the dictatorship of the financier and we defend the defense of fundamental values, the respect for work, of equity, of pluralism, of participation, of freedom. We defend the importance of the designer's role in the communication and construction of alternatives. We believe that democracy is the government through discussion. We defend the involvement of the designers in the role of assuring the amplitude and quality of the discussion, making it as quotidian and pragmatic as possible.

5. Nós defendemos que o design deve ter uma agenda que resulte da discussão dos valores, da discussão acerca da utilidade e da eficácia da disciplina, conseguida de forma alargada e em mais do que um fórum: no movimento associativo; nas escolas; nas empresas de design; nos meios de comunicação social.

5. We defend that design must have an agenda that results from the discussion of values, utility and effectiveness of the discipline, obtained in a widened form and in more than one forum: in the associative movement; in schools; in the design companies; in the several social media.

6. Nós defendemos que essa agenda seja capaz de posicionar o design português, de forma clara, objetiva e pragmática, perante questões sociais, políticas, culturais, económicas, tecnológicas e éticas que afetam o país e os cidadãos. Nós comprometemo-nos a criar um grupo de trabalho, aberto à participação de todos, capaz de desenvolver ações que garantam a prossecução das intenções do presente manifesto.

6. We defend that this agenda is capable of locating portuguese design, in a clear, objective anda pragmatic way, before social, political, economic, technological and ethic questions that affect the country and its citizens. We compromise to create a work group, open to everyone's participation, capable of developing actions that guarantee the prosecution of the intentions of the present manifest.

7. Nós defendemos que o design e os designers portugueses sejam valorizados, promovidos e defendidos; nós apelamos às associações e às escolas para assumirem a sua responsabilidade na defesa intransigente de uma proposta crítica e exigente para o design e a sua prática profissional. Nós apelamos a uma maior politização da prática do design, a uma maior interferência dos designers na programação cultural e social, a uma maior consciencialização dos designers do seu papel produtivo.

7. We defend that both design and portuguese designers should be valued, promoted and defended; we appeal to the associations and schools to assume their responsibility in the intransigent defense of a critical proposal to design and it's professional practice. We appeal to a bigger politicalization of the design practice, a bigger interference of the designers in the cultural and social programming, to a bigger understanding by designers of their productive role.

8. Nós acreditamos no design como uma forma de produção social, e não como ato isolado de criatividade. Nós defendemos uma prática do design centrada na prestação de serviços do designer a um cliente, envolvendo respeito mútuo, empenho na procura da melhor solução, de forma a que cada projeto contribua para a valorização da profissão e para a qualificação dos valores da cidade e da cidadania. Mas, também, defendemos a procura de práticas alternativas, autopropostas e autogeridas, sejam ou não pro bono. Defendemos a valorização dos designers, a sua liberdade autoral e condenamos a sua menorização e exploração; valorizamos a formação em design, a diversidade de formas, processos e manifestações de projeto; combatemos os estágios não remunerados, a precariedade profissional e quaisquer formas de descriminação que não se fundamentem em critérios qualitativos transparentes.

8. We believe in design as a form of social production, and not as an isolated act of creativity. We defend a design practice focused in the services rendering from the designer to a client, involving mutual respect, commitment in the search of the best solution, in order to each project contributes to the valuation of the profession and the qualification of the values of both the city and the citizenship. We also defend the search for alternative practices, selfproposed and selfmanaged, be them pro bono or not. We defend the valuation of designers, their authorial freedom and we condemn their lack of valuation and exploration; we value the design education, it's diversity of forms, processes and project manifestations; we fight the non paid internships, the professional precariousness and any discrimination forms that don't base in transparent qualitative criteria.

9. Vivemos tempos de urgência que exigem a nossa participação ativa. O presente manifesto comunica um conjunto de intenções, visa tornar público um compromisso para a construção de uma comunidade operativa constituída por cidadãos-designers que através da presente tomada de posição dão um passo para a construção de um grupo de trabalho com a coesão ou as ramificações necessárias a uma maior eficácia da sua ação.

9. We live times of urgency, that demand our active participation. The present manifest communicates a set of intentions, it aims to return public a commitment to the construction of an operative community constituted of citizens-designers that through the present taken of position give a step in the constrution of a work group with the cohesion or the necessary ramifications for a bigger effectiveness of its actions.

10. Nós, abaixo assinados, lutaremos para que o design português possa gerar narrativas fortes, que de forma pragmática e ideologicamente fundamentada, possam voltar a enunciar, de modo pertinente e efetivo, palavras como utopia, liberdade, igualdade ou revolução.

10. We, undersigned, will fight so that portuguese design can generate strong narratives, that in a pragmatic and ideologically based way can again enunciate, in a pertinent and effective mode, words like utopia, liberty, equality or revolution.


Redator | Editor:
José Bártolo

Subscritores | Subscribers:
Alejandra Jaña
Ana Rainha
António Modesto
Aurelindo Jaime Ceia
Carlos Guerreiro
Eduardo Aires
Emanuel Barbosa
Joana Bertholo
João Alves Marrucho
João Bicker
João Martino
José Bártolo
José Carlos Mendes
Luís Alvoeiro
Luísa Barreto
Marco Balesteros
Marco Reixa
Mário Moura
Nuno Coelho
Pedro Marques
Sofia Gonçalves
Vera Tavares
Valdemar Lamego
Victor M Almeida



Faço minhas as palavras do presente Manifesto.
Se gostariam de subscrever o manifesto ou simplesmente de se informarem sobre a discussão que está a acontecer, podem da forma mais moderna e informal possível fazê-lo com um 'Like' aqui.

I make mine these words and subscribe to the present Manifest.
If you would like to take part or simply inform yourself about the discussion that is taking place, you can in a rather modern and informal way do so by using the 'Like' here




Yours truly,





0 comentários:

Enviar um comentário